REAJUSTE ANUAL DE MEDICAMENTOS: SAIBA QUAL É O AUMENTO MÁXIMO PARA CADA TIPO DE MEDICAMENTO

Foi definido nesta sexta-feira(31/3) o reajuste anual de preços de medicamentos para 2017. O aumento, que já pode ser aplicado, ficou entre 1,36% e 4,76% e deve chegar logo às farmácias. Segundo o Ministério da Saúde, os consumidores terão o menor aumento médio dos últimos dez anos.

O ajuste autorizado pelo Conselho de Ministros da Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (Cmed) para 2017 é diferenciado em três grupos. No primeiro, dos medicamentos de maior concorrência, que possuem mais laboratórios produzindo ou genéricos (omeprazol, pantoprazol), o aumento pode ser de até 4,76%.

O segundo grupo, com concorrência moderada (cetoconazol, fluconazol, tramadol, morfina), pode ter reajuste de até 3,06%. Já no terceiro grupo, dos medicamentos com baixa concorrência (betametasona, dexametasona, ampicilina), o aumento pode ser de, no máximo, 1,36%.

O percentual não é um índice automático de aumento de preços. Para exercer o direito ao ajuste, as fabricantes devem encaminhar as informações de vendas realizadas no segundo semestre do ano passado e dizer qual percentual de ajuste pretendem aplicar, sem ultrapassar o máximo autorizado para cada classe de remédios.

O Sindicato da Indústria Farmacêutica (Sindusfarma) informou, por meio de nota, que os índices não repõem a inflação passada, medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) no acumulado de 12 meses, de março de 2016 a fevereiro deste ano.

Confira o reajuste máximo para cada tipo de medicamento

Nível 1: reajuste de até nível 4,76%
Tipo de medicamentos: de maior concorrência, aqueles que possuem mais laboratórios produzindo diversas marcas ou genéricos substitutos. São, por exemplo, os medicamentos inibidores da bomba de prótons (omeprazol, pantoprazol, etc.) e estatinas (sinvastatinas, atorvastatina).

Nível 2: reajuste de até 3,06%
Tipo de medicamentos: os que têm concorrência moderada, como antifúngicos sistêmicos (cetoconazol, fluconazol) e analgésicos narcóticos (tramadol, morfina)

Nível 3: reajuste de até 1,36%
Tipo de medicamentos: com baixa concorrência, como os corticosteroides oral puro (betametasona, dexametasona) e penicilinas injetáveis (ampicilina, amoxicilina).

Sobre Evelyn Shiroki

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.Os campos obrigatórios estão marcados *

*

x

Check Also

CALÇAMENTO NO BAIRRO ESPÍRITO SANTO

A vereadora Elienis Tigre (PMDB) indicou o calçamento da rua Wantuil Lopes no bairro Espírito Santo. “Devemos ter sensibilidade para reconhecer os transtornos que moradores desta localidade passa. Lama, poeira, difícil acesso, dentre outros são alguns que cito imediatamente. O calçamento ...