REAJUSTE ANUAL DE MEDICAMENTOS: SAIBA QUAL É O AUMENTO MÁXIMO PARA CADA TIPO DE MEDICAMENTO

Foi definido nesta sexta-feira(31/3) o reajuste anual de preços de medicamentos para 2017. O aumento, que já pode ser aplicado, ficou entre 1,36% e 4,76% e deve chegar logo às farmácias. Segundo o Ministério da Saúde, os consumidores terão o menor aumento médio dos últimos dez anos.

O ajuste autorizado pelo Conselho de Ministros da Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (Cmed) para 2017 é diferenciado em três grupos. No primeiro, dos medicamentos de maior concorrência, que possuem mais laboratórios produzindo ou genéricos (omeprazol, pantoprazol), o aumento pode ser de até 4,76%.

O segundo grupo, com concorrência moderada (cetoconazol, fluconazol, tramadol, morfina), pode ter reajuste de até 3,06%. Já no terceiro grupo, dos medicamentos com baixa concorrência (betametasona, dexametasona, ampicilina), o aumento pode ser de, no máximo, 1,36%.

O percentual não é um índice automático de aumento de preços. Para exercer o direito ao ajuste, as fabricantes devem encaminhar as informações de vendas realizadas no segundo semestre do ano passado e dizer qual percentual de ajuste pretendem aplicar, sem ultrapassar o máximo autorizado para cada classe de remédios.

O Sindicato da Indústria Farmacêutica (Sindusfarma) informou, por meio de nota, que os índices não repõem a inflação passada, medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) no acumulado de 12 meses, de março de 2016 a fevereiro deste ano.

Confira o reajuste máximo para cada tipo de medicamento

Nível 1: reajuste de até nível 4,76%
Tipo de medicamentos: de maior concorrência, aqueles que possuem mais laboratórios produzindo diversas marcas ou genéricos substitutos. São, por exemplo, os medicamentos inibidores da bomba de prótons (omeprazol, pantoprazol, etc.) e estatinas (sinvastatinas, atorvastatina).

Nível 2: reajuste de até 3,06%
Tipo de medicamentos: os que têm concorrência moderada, como antifúngicos sistêmicos (cetoconazol, fluconazol) e analgésicos narcóticos (tramadol, morfina)

Nível 3: reajuste de até 1,36%
Tipo de medicamentos: com baixa concorrência, como os corticosteroides oral puro (betametasona, dexametasona) e penicilinas injetáveis (ampicilina, amoxicilina).

Sobre Evelyn Shiroki

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.Os campos obrigatórios estão marcados *

*

x

Check Also

VEREADOR MARCELO FÉLIX PARABENIZA EQUIPE DE FUTEBOL

O vereador Marcelo Félix  parabeniza a equipe sub 17 de futebol do bairro Sete de Setembro, campeã na categoria, o jogo ocorreu neste domingo(03).   “Não podemos deixar de destacar a alegria e a garra com que o time do ...