ACORDA NANUQUE: POLÍTICA X POLITICAGEM

0
2233

Política e politicagem são faces de uma mesma moeda. A convivência entre elas é tão próxima que surge confusão. Onde começa uma e termina a outra? Difícil explicar, ainda mais pelo momento pelo esta passando o país. Difícil explicar quando valores e compromissos ficam suscetíveis às denúncias que pipocam a todo instante.

No dicionário Houaiss, eu encontrei vários significados e, escolhi os seguintes que se enquadram melhor.

De acordo com o Houaiss, política é a arte ou ciência da organização, direção e administração de nações ou Estados, entendendo que para tanto se pode fazer uso da arte da negociação e sempre levando em conta os interesses coletivos e públicos. O sentido atribuído ao termo se reveste de caráter nobre e elevado.

Por outro lado, o Houaiss define politicagem como o fazer política com o propósito de alcançar interesses pessoais, de troca de favores ou de realizações insignificantes. Infelizmente, como esclarece o dicionário, ocorre a apropriação de uma ação elevada (o exercício da política), rebaixando-a em função de objetivos que não representam os anseios da coletividade.

Um exemplo claro e concreto é a realização de acordos entre partidos políticos adversários para governarem. Isso é fazer política. Trocar apoio político (por indivíduos ou partidos) por dinheiro ou outras vantagens é agir com politicagem. (Nesse momento grito bem alto e parafraseando o famoso personagem cultural nanuquense Brasão: ACORDA NANUQUE!).   

Defender interesses da população, por meio da gestão de estabelecimentos públicos, buscando o caminho da excelência, mesmo sabendo que os resultados virão em médios ou longos prazos, é outra forma de fazer política. Usar de um cargo de gestão para se projetar e angariar vantagens pessoais  é fazer politicagem.

Somos confrontados diariamente com notícias sobre política, tanto de relatos que demonstram a nobreza que se materializa; quanto de fatos que nos agridem pela ganância e do oportunismo explícitos da politicagem.

Certas situações têm sido tão banalizadas que, como cidadãos ficamos impassíveis diante dos abusos e acabamos nos omitindo na crítica a comportamentos deploráveis que testemunhamos.

Os tempos mudaram e com ele a percepção da população também mudou. Acabou-se o coronelismo. Acabou-se a troca de favores.

O que dizer?

– “ACORDA NANUQUE”.